14 de maio de 2021

Tudo que você quer e que seu carro precisa.

Dodge e outros clássicos no oitavo Chrysler Night

Evento no Anhembi reuniu modelos especiais como o Charger R/T, Dart, Le baron e outros antigos
  • Texto: Marcos Camargo Jr.
  • Foto: Divulgação

(01-09-10) – Nesta terça feira o Auto Show Collection recebeu dois eventos para os fãs de carros antigos no Sambódromo do Anhembi. A primeira parte contou com um desfile para comemorar o 05 de setembro, Dia do Antigomobilista, projeto de lei do vereador Antonio Goulart sancionado em 2003. Na pista desfilaram modelos como Ford Mustang Rolls Royce, Jaguar, Skoda, Uirapuru, Mercedes Benz, Gordini, Ford 1929, Mercedes Benz, Ford 1939 e até um Romi Isetta, revolucionário mini carro italiano.

A segunda parte do desfile contou com os belos modelos Chrysler com grande destaque para os potentes Dodges com motor V8 318, que eram sensação do mercado brasileiro na década de 1970. Na abertura, um lindo Dodge americano da década de 70 na cor prata, e um Dodge Charger 72 com faixas pretas, representando a primeira série do lendário esportivo nacional.
Raridade mesmo era um Dodge Brothers fabricado em 1928 em dois tons amarelos.

Para contar a trajetória dos Dodges no Brasil, um Dart 1969 exibiu a cor amarelo Carajás e as linhas do primeiro modelo da marca oferecido no Brasil.

Um dos mais raros era o Dodge Dart SE, uma versão despojada com poucos cromados e frisos, e bancos com revestimento em tecido xadrez. Na pista um representante na cor amarelo boreal e outro verde tropical, típicas da época.

Também desfilaram um Charger 72 verde e um Dodge grand sedan branco fabricado em 73, modelos que tinham propostas diferentes: um mais esportivo e o outro conservador, mais luxuoso.

Outro Dart com pintura marrom e teto de vinil caramelo chamou a atenção pelo estado impecável, seguido por um Dart amarelo, customizado com a dianteira do modelo Charger.

O Charger RT laranja 1977 é um dos mais desejados da série, e apareceu exibindo os faróis escondidos sob a grade, as entradas de ar do capô e outros detalhes que faziam a cabeça do público jovem da época. Em seguida desfilaram os modelos da segunda geração do Charger, que perdia as entradas de ar do capô e ganhavam faixas coloridas em dois tons nas laterais, acompanhando todo o carro.

A última dupla dos Charger exibiu as alterações que chegaram bem no final da década de 1970, com nova dianteira produzida em fibra, novos detalhes de acabamento e tons mais sóbrios como o modelo monocromático com bancos e teto de vinil azul. Ao seu lado, um modelo em dois tons, creme e marrom, que rendeu o apelido de “pudim”. Estes carros foram os primeiros do mercado a receber rodas de liga leve, uma evolução em carros produzidos em série.

Chegando à década de 1980 a Chrysler recém adquirida pela Volkswagen não via bom futuro para os seus esportivos. Mesmo assim a linha foi remodelada e chegaram novos modelos para ver se as vendas deslanchavam. O sedan LeBaron era um dos carros mais luxuosos do seu tempo, com acabamento impecável e bancos de veludo. Ao seu lado, um dos últimos Dodge Dart.

Outro modelo incomum era o Chrysler Córdoba, fabricado entre 1975 e 1983, que fez pouco sucesso nos Estados Unidos. Disponível com os motores V8 318, 360 ou 440 era um esportivo com acabamento mais caprichado, e vendido como carro intermediário.

Os Chrysler PT Cruiser também tiveram espaço na oitava edição do Chrysler Night bem como outros modelos contemporâneos como o Jeep Grand Cherokee, Dodge Dakota e a grande Dodge Ram, carros equipados com o motor V8 318 com injeção eletrônica. Destaque ficou por conta da pickup Dodge RAM R/T preta, a pickup de série mais rápida do mundo.

No final do desfile um esportivo de peso: o New Challenger equipado com motor V8 6.1 litros, e design baseado no mesmo modelo fabricado em 1970.
Com potência e estilo de sobra, este carro de alta performance mostra que o futuro também traz elementos de um passo glorioso para os modelos Chrysler.