6 de maio de 2021

Tudo que você quer e que seu carro precisa.

Brasil registra crescimento de 6,11% nos emplacamentos de automóveis e comerciais leves em 2012

O ano de 2012 foi marcado por oscilações no setor automotivo. Alguns setores, como automóveis, comerciais leves, caminhões e motocicletas, necessitaram de intervenções do governo ao longo do ano passado. Como resultado, a comercialização de automóveis e comerciais leves cresceu acima do esperado no resultado de 2012, ampliando em 6,11% no comparativo com 2011, totalizando 3.634.421 unidades vendidas. “A redução do IPI foi fundamental para o crescimento destes segmentos. Esperávamos ampliar 4,8% ante o ano de 2011,  e o resultado de 6,11% mostrou que o trabalho conjunto entre governo, Anfavea, Fenabrave e todas as lideranças do setor automotivo e financeiro trouxeram benefícios ao mercado e à economia nacional”, comenta o presidente da FenabraveFederação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, Flávio Meneghetti.

De acordo com o presidente da entidade que representa mais de 7 mil concessionários de veículos no Brasil, o governo brasileiro está disposto a continuar estimulando a economia. Prova disso foi o recente anúncio da volta gradual do IPI durante o primeiro semestre de 2013, período tradicionalmente mais fraco nas vendas de veículos. “Assim, os consumidores podem ter mais tempo para comprar seus veículos, uma vez que, no início do ano, há uma queda natural nos emplacamentos em função dos compromissos financeiros assumidos pela população, como o reflexo das compras de natal, a compra de materiais escolares, IPVA, além de feriados como o Carnaval, que impactam no menor número de dias úteis para a venda de veículos”, esclarece Meneghetti.

Apesar do bom resultado registrado para automóveis e comerciais leves, a soma de todo o setor, que inclui caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários, máquinas agrícolas e outros veículos, como carretinha para transporte, registrou queda de 2,25% no comparativo entre 2011 e 2012.

Ao todo, foram emplacadas 5.586.586 unidades em 2012, contra 5.715.248 registradas em 2011. “Os setores de caminhões e motocicletas influenciaram no resultado geral, mas estamos confiantes que, em 2013, estes dois segmentos retornem à curva de crescimento”, diz o presidente da Fenabrave.

Apesar da queda no acumulado, o setor, no geral, cresceu 14,32% em dezembro, na comparação com o mês de novembro. Foram emplacadas 510.298 unidades em dezembro contra 446.380 em novembro. Nos segmentos de automóveis e comerciais leves, o crescimento foi de 15,75% entre os dois meses. Foram emplacadas 343.770 unidades em dezembro ante 297.003 em novembro. “Um dos motivos deste crescimento nas vendas em dezembro, cuja média de venda diária chegou a mais de 18 mil unidades/dia, deve-se ao IPI, cuja redução integral foi mantida até 31 de dezembro”, explica Meneghetti.

Projeções 2013

Considerando o retorno gradual das alíquotas de IPI até junho de 2013, as previsões de crescimento do PIB em 3% e da retomada da economia, além da manutenção do nível de empregos e renda familiar, as previsões da Fenabrave para o mercado de veículos automotores aponta para um aumento global de 2,82%. Segundo a entidade, serão emplacadas 5.592.673 unidades este ano.

Veja detalhes de cada segmento:

  • Para automóveis e comerciais leves, espera-se aumento de 3% nos emplacamentos na comparação com 2012, totalizando 3.743.285 unidades;
  • O setor de caminhões deverá contabilizar 159.760 unidades até dezembro, com aumento de 16% ante o ano passado;
  • O mercado de ônibus deve encerrar 2013, de acordo com a Fenabrave, com crescimento de 4,11%, totalizando 30.938 veículos emplacados;
  • O segmento de motocicletas, que ainda sofre com a retração de crédito, deve encerrar 2013 com tímido crescimento de 1,3%, totalizando 1.658.690 unidades comercializadas.

 Acompanhe abaixo o desempenho de cada segmento em 2012

Automóveis e Comerciais Leves – O volume de emplacamentos de automóveis e comerciais leves alcançou 3.634.421 unidades no acumulado de 2012, contra 3.425.270 no ano anterior, registrando aumento de 6,11%. Foram emplacadas 343.770 unidades em dezembro, contra 297.003 em novembro. O desempenho dos segmentos foi de alta de 15,75% no mês passado, se comparado ao mês anterior.

Caminhões e Ônibus – O mercado de caminhões, que sofreu com a antecipação de consumo dos modelos EURO3 registrada no final de 2011, com problemas de abastecimento do combustível Arla 32 no início de 2012, com a retração da economia e problemas pontuais na agricultura, registrou queda na comparação dos acumulados de 2012 e 2011. Foram emplacados 137.722 caminhões no ano passado, ante 172.628 unidades no mesmo período de 2011 – numa queda de 20,22%. Ao comparar dezembro de 2012 (12.524 unidades) com o mesmo mês de 2011(12.561 unidades), o segmento registrou leve queda de 0,29%.

O segmento de ônibus apresentou queda de 14,96% no comparativo entre os acumulados de 2011 e 2012, passando de 34.944 unidades emplacadas para 29.716. De novembro para dezembro, o crescimento foi 39,10%, saltando de 2.189 unidades para 3.045 ônibus vendidos.

Na soma dos dois segmentos (caminhões e ônibus), o desempenho do ano foi negativo no acumulado e positivo na comparação entre novembro e dezembro do ano passado. Ao todo, foram emplacadas 167.438 unidades em 2012, contra 207.572 no ano anterior – numa queda de 19,33%. No último mês de 2012, 15.569 unidades foram emplacadas no Brasil. Este volume é 5,55% maior que as 14.750 unidades registradas em novembro.

Motos – O segmento de duas rodas também apresentou queda de 15,62% na comparação entre os acumulados de 2011 e 2012. No ano passado foram emplacadas 1.940.533 unidades, ante as 1.637.481 registradas em 2012. No comparativo entre os meses de novembro (121.776 motos) e dezembro (137.986 unidades), o resultado foi de alta de 13,31%.

Implementos Rodoviários –Este setor registrou retração de 11,35% entre janeiro a dezembro de 2012, no comparativo com o mesmo período do ano passado. Foram comercializadas 52.105 unidades em 2012, contra 58.977 implementos no mesmo período de 2011. De novembro para dezembro, o setor também apresentou queda em 4,84%, retraindo de 4.961 unidades para 4.721.

Outros – Outros veículos, como carretinhas para transporte, apresentaram crescimento de 14,77% na comparação dos acumulados, passando de 82.896 unidades para 95.141. Ao comparar os meses de novembro e dezembro, este setor também apresentou crescimento de 4,59%, passando de 7.890 unidades para 8.252 no mês anterior.

Fonte: Imprensa FENABRAV.